Arquivo da categoria: poesia

Poemas publicados em Mallarmagens (Revista de Poesia):

http://www.mallarmargens.com/2014/09/44-poema-de-juliana-hollanda-davila.html?q=juliana+hollanda http://www.mallarmargens.com/2014/11/poema-de-juliana-hollanda-davila.html http://www.mallarmargens.com/2014/12/maya-poema-de-juliana-hollanda.html?q=juliana+hollanda Anúncios

Publicado em poesia, SÉRIE | 2 Comentários

Sobre perdas (I)

Para Maria Carolina e Mariana Ribeiro   a dor da perda é incomensurável rasga a carne como espada – golpe certeiro – sem perdão porta sem chave que não mais se abre ou fecha – buraco – nada mais se … Continuar lendo

Publicado em poesia | Deixe um comentário

Medo de dormir no escuro (I)

  tudo o que grande; pequeno tudo o que solto – transverso – reverso dos certos sobras e sombras prazer -Pojung- o signo perverso o general o mandante do verso – o verbo – conversa amigável no botequim da saudade … Continuar lendo

Publicado em Ju & Juju, poesia, SÉRIE | Deixe um comentário

sobre decepções e tristeza (I)

a educação de horas atrás e os melindres deturpados da infância me fizeram até hoje um pessoa de meias e poucas palavras (menos quando eu fico bêbada) aí falo tudo! doa a quem doer, não que seja adepta do que … Continuar lendo

Publicado em poesia, SÉRIE | Deixe um comentário

Conversas e Desejo (I)

amor é pesca predatória um balão (de rede) que sai arrastando tudo o que vê – pelo chão – é o lago que se transmuta nuvem e desintegra a matéria misturo as estações como um rádio [ sem antena] mais … Continuar lendo

Publicado em Ju & Juju, poesia, SÉRIE | Deixe um comentário

Fragmentos de uma noite de Outono (1)

meu gás carbônico sufoca como bala soft – pânico do último trago – o cigarro ainda aceso bem longe da maldade do sorriso estranho do bêbado do outro lado do bar seria isto um sonho ruim ou um sono bom? … Continuar lendo

Publicado em Ju & Juju, love or leave me poetry poesia poemas amor, POEMA, poesia, sonho, surrealismo fantástico | Marcado com , , | Deixe um comentário

Para Tavinho Paes   Mano, tu é gênio e não sabia, ou os que te (ar)rudeiam que não sabem?   ser um gênio compreendido é fácil difícil é ser maldito bem amado e perdido no espaço   “prendido” na gaiola … Continuar lendo

Publicado em emoção, homenagem, poesia, SÉRIE | Deixe um comentário