apenas sobre o nada, o tédio ou o amor (III)

ao pintar a vida com letras

escorre tinta da pena

tal qual líquen do caule da flor

escorrem angústias no papel

de um futuro ainda não escrito

tenho medo de perder esse amor conquistado à duras penas

e com ele ter que apagar os sonhos idealizados

mais uma vez

falta-me tempo e vontade de pegar outra folha branca

e assim  fazer novo desenho

preciso que este seja o último abrigo

para o meu coração

e que assim seja eterno este meu caderno da vida

meus versos precisam ser feitos

no agora do tempo presente

presente este que está sendo escrito neste momento

para mim

por você,

amor

Anúncios
Esse post foi publicado em SÉRIE. Bookmark o link permanente.

3 respostas para apenas sobre o nada, o tédio ou o amor (III)

  1. rejane disse:

    Hé Jú… Vc é guerreira! Pra sustentar um grande amor, a gente precisa está trasbordado dele.. te amo!

  2. Graça Carpes disse:

    Teclando o amor… Sensível… Lindo!
    🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s