sobre imensidão e terremotos (I)

(tuta– olhares.com)

sim. foi ciúme.
alguma coisa que cisme. alguma coisa que some. que faça um com um.

sim. foi ciúme.
alguma coisa que sobre. algo que também seja!
algo que sopre e faça um vendaval nas nossas penas.
algo que desperte. algo que acerte o alvo. que aceite o riso e o não ser.
que me descabele na mais alta madrugada e deseje.
só deseje ser algo que deve. que já pagou. algo que aqui é nada. e quando anoitece a madrugada…
dezenas de novos amanhãs anunciam
que o dia chegou e é tarde.

tarde ou cedo tanto faz.
cedo ou noite; nunca mais.
o dia cíclico. a tarde mansa. o dia que amanhece.

amanhece esse dia e a Cinderela acorda.

acorda para ouvir o ronronar da corda.
acorda, Cinderella pra ouvir…

-Cinderella já acordou?

-…

– Cinderella acordou? O que será que Cinderella; sim. a minha Cinderella viu num homem tão insensível?

– mas pq vc diz isso, amor?

– …

N.A. – não existe objetividade. não existem convenções sociais. não existe machismo, feminismo e nem absorventes íntimos.
não existem estrelas no céu.
não existe céu sem estrelas…
o sol está lá e estala.

eu estou aqui e vivo.
não posso levar a culpa e nem carregar o peso do mundo pelos meus atos.

não devo me abster dos meus sentimentos, meu prazer por outros.
devo pensar em mim, agora.
devo pensar em mim;agora.
tenho tentado não pensar.
tenho pensado em desfalar.
tenho querido des-sentir.

Ando precisando me pensar.

Anúncios
Esse post foi publicado em SÉRIE. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s